Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Eleanor & Park" de Rainbow Rowell

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sábado, 24 de setembro de 2016


quarta-feira, 21 de setembro de 2016
Autora: Fernando Pessanha
Edição ou reimpressão: 2015
Editor: 4águas Edições
Páginas: 68

Sinopse:
Breve novela picaresca passada na centúria de setecentos, nos conturbados anos em que governantes como o Marquês de Pombal ou a rainha D. Maria I regeram a História do infeliz reino, dá-nos a conhecer, em breves e geniais pinceladas, a sociedade e o país, as gentes e as representações sociais da época. Oferece-nos breves apontamentos de eventos perdidos na memória que, para além do interesse histórico/cultural, nos enriquecem e ajudam a entrar no espírito da época, como são os casos dos deliciosos apontamentos sobre a "Guerra Fantástica" na Europa, as "Novas Conquistas" na Índia ou a "Guerra dos Doidos" em Timor...


Opinião:
Já tinha este livro há algum tempo comigo, só que infelizmente, devido a uma série de eventos (desde férias a falta de tempo) não tinha tido ainda tempo para ler. Mas finalmente consegui agarrar neste livrinho e li-o de uma só vez.

Sendo um livro pequenino, ou como o próprio autor diz uma novela breve, não vos vou fazer um pequeno resumo sobre o mesmo, mas posso dizer que este livro é uma novela sobre a relação entre D. Amélia, D. António e D. Nuno. D. Amélia é uma mulher extremamente religiosa, casada com D. António que nutre por ela um carinho enorme, respeitando assim todos os desejos e caprichos da sua mulher, por muito loucos e exagerados que estes sejam. Já D. Nuno é um homem do mundo, habituado a ser adorado especialmente pelo sexo feminino, algo que D. António muito admira neste seu amigo.

É um pequeno livro que no final me deixou de boca aberta, escrito de forma posso dizer poética e melodiosa. É uma narrativa que se lê rapidamente e que permite ao leitor passar um bom bocado. Eu gostei imenso e recomendo este pequeno livrinho a quem quer ler algo diferente e português.
terça-feira, 20 de setembro de 2016
segunda-feira, 19 de setembro de 2016